Dicas sobre a vida em Lisboa

13 June 2017

Introdução

Essa documento tem o objetivo de contar um pouco da vida em Lisboa, uma das capitais mais incríveis do mundo e porta de entrada para a Europa. A ligação entre Portugal e Brasil se faz perceber em vários aspectos da vida cotidiana. A cidade que se renova unindo o tradicional e o moderno tem tudo para conquistar os brasileiros. Sem falar na facilidade da língua e na sensação de acolhida e hospitalidade que sentimos ao conhecer melhor cada pedacinho da capital portuguesa.

Entendendo a cidade

É fácil se perder a pé por Lisboa, pelas ruelas dos bairros antigos ou pelos mirantes
e suas vistas estonteantes. Do alto da colina do imponente Castelo de São Jorge
se tem uma ampla visão da capital portuguesa: o mosaico dos telhados, o balé das
roupas secando nas janelas, as curvas das praças e o belo Rio Tejo. Lisboa encanta!

A cidade apontada como um dos melhores destinos turísticos da Europa por vários
sites especializados está fervendo em novos investimentos: são hotéis, restaurantes,
cafés, bares, lojas e atrações que não param de abrir. Sem falar no clima, um
dos melhores da Europa, da gastronomia e dos vinhos, esses um capítulo à parte.

Lisboa é assim: a cada bairro revela-se uma cidade múltipla. O coração é o centro
histórico, com a Lisboa medieval (Alfama), a dos mouros e multicultural (Mouraria),
a boêmia (Bairro Alto), a elegante da Belle Époque e hoje bairro da moda (Chiado),
a romântica e charmosa (Príncipe Real), a urbana (Baixa) e a moderna, que passa
pelo Campo de Ourique (no início do século XX), pelas Avenidas Novas (meados do
século passado) e pelo Parque das Nações (de arquitetura futurista).

A luxuosa Avenida da Liberdade é conhecida como o “Champs Élysées” de Lisboa
e reúne hotéis, grifes internacionais e uma autêntica calçada portuguesa. Belém,
que ganhou o mundo com seus “pastéis de natas”, é uma zona que homenageia os
grandes navegadores portugueses dos descobrimentos, onde encontram-se museus
e monumentos do patrimônio mundial. No vizinho Santos, pequeno “bairro do
design”, há opções de compras e vida noturna, assim como em Alcântara, com antigos
armazéns transformados em restaurantes.

Do Cais do Sodré saem barcos que ligam Lisboa à outra margem do Tejo, assim
como comboios (trens) que unem a cidade a Cascais, um balneário muito visitado
por turistas ao Estoril, local chique, com uma bela orla. O Mercado da Ribeira (maior
da cidade, em funcionamento desde 1892) tornou-se um badalado espaço cultural
e gastronômico.

O clima em Lisboa: as quatro
estações e suas temperaturas

O clima em Lisboa tende a ser temperado durante quase todo o ano, com verões
longos e quentes, primaveras e outonos amenos e invernos relativamente suaves
para os padrões europeus. Os meses de verão, com temperatura média de 25 a
28ºC, trazem belos e longos dias de sol. Em julho e agosto Lisboa tem temperaturas
altas que muitas vezes ultrapassam os 30ºC. Há luz até as 9 horas da noite.

Já no inverno, as temperaturas médias atingem os 12ºC em Lisboa, com mínimas de
8, 9ºC e raramente valores negativos. O inverno é chuvoso e ventoso. A primavera
e o outono também registram temperaturas agradáveis, ideais para visitar a cidade
e arredores. Nestes meses, é comum serem registradas chuvas intermitentes, mas
de curta duração.

O verão é bem seco, com média de dois dias de chuva ao mês. Já o período mais
chuvoso compreende os meses de outubro a março. Lisboa tem em média 117 dias
de chuva por ano, com precipitação de 700mm. Para consultas mais detalhadas:
www.centrometeo.pt

Praias para surfe e arredores

Não é à toa que Portugal é um conhecido reduto de passagem dos circuitos mundiais
de surfe. Em Lisboa há praias excelentes para a prática do esporte. Inclusive
é possível surfar cedinho na linha de Cascais e trabalhar no Centro de Lisboa algumas
horas depois. Entre as praias mais conhecidas e freqüentadas por surfistas estão
as da Costa da Caparica, Ponta de Sagres, Peniche, Ericeira, e a Praia do Norte,
em Nazaré.

Esta última ficou famosa internacionalmente por ter a maior onda do mundo, surfada
por Garret McNamara, em 2011. O feito foi um recorde mundial, já que a onda
tinha nada menos que 30 metros. A brasileira Maya Gabeira, quase perdeu a vida
nessa praia em 2013, quando surfando uma big wave caiu e foi engolida pelas ondas.
As imagens do resgate, emocionante e heroico, feito pelo colega brasileiro Carlos
Burle, rodaram o mundo.

O diferencial das praias de Lisboa para a prática do surfe está no fato de oferecerem
os mais diferentes tipos de ondas. Há aquelas mais suaves, ideais para o longboard,
outras mais profundas para os que praticam bodysurf e até as chamadas ondas
“envelope” para os dias sem vento e reef points. Ou seja: há praias para todos os
gostos e todos os tipos de surfistas e amantes das aventuras nas ondas!

Empregados domésticos

Em Lisboa e em seus arredores não é difícil encontrar empregadas domésticas
e babás para prestar serviços. Para a garantia de contratar um profissional de
confiança, muitos moradores recorrem às agências especializadas em selecionar
e recrutar candidatos. Elas oferecem desde empregadas até casais de caseiros,
cuidadoras, baby sitters, mordomos e governantas (www.quermarias.pt ou
www.babeteavental.com).

Em média, o salário de uma empregada doméstica sai a menos de €6 por hora. Elas
podem trabalhar em tempo integral ou parcial. As empregadas que dormem no
emprego — chamadas de internas – são menos comuns, mas também podem ser
encontradas através dessas agências. Algumas fazem até o serviço de motorista,
e acompanham famílias em viagens de férias. Por mês, o salário líquido de uma interna
é a partir de €350 — sem incluir férias e 13º salário (chamado de subsídio de
Natal em Portugal). Neste link — www.dinheirovivo.pt/Faz/negocios/interior.aspx-
?content_id=3880485 é possível ter acesso a várias empresas que gerenciam tal
prestação de serviço.

Transporte público

Muita gente se lembra do Rio de Janeiro quando chega a Lisboa, em especial de
bairros como Santa Teresa. Mas quando se trata de transporte público, a realidade
é bem diferente. A cidade é superfácil para passear e bem comunicada com metrô,
bondes (elétricos), ônibus (autocarro), trens (comboios) e ferry boats (transporte
fluvial). Ou seja, vive-se tranquilamente nos bairros do centro histórico de Lisboa
sem necessidade de carro.

De qualquer forma, é possível estacionar nas ruas de Lisboa, por curtos períodos
de tempo (máximo de 4 horas) e mediante pagamento de tarifas que variam de
acordo com a zona urbana. Para permanências mais prolongadas, é aconselhável a
utilização de um dos 20 estacionamentos geridos pela EMEL. Mais informações e
a localização de cada um em www.emel.pt/pt/parques/

Abaixo, uma seleção com dicas de cada tipo de transporte:

Metrô

Além de seguro e limpo, é composto por 4 linhas e através do bilhete Viva Viagem
é possível circular por toda a cidade, nos autocarros da Carris e nos elétricos (bondinhos).
Uma outra opção é o cartão Lisboa Viva que pode ser carregado uma vez
por mês e utilizado (conforme sua recarga) com outras empresas de transporte,
além de oferecer descontos em vários serviços. Importante: sempre valide seu
bilhete, caso contrário estará sujeito a multa em caso de o fiscal abordá-lo.

Ônibus (Autocarros)

  • Carris — a empresa funciona dentro de Lisboa e além do serviço de transporte normal,
    possui serviços especiais para turistas e visitantes com deficiências motoras.
  • Vimeca e LT Transportes — circulam dentro de Lisboa e nos arredores;
  • Scotturb — possui linhas turísticas entre Cascais e Sintra.

Ônibus Expressos (Autocarros Rodoviários)

Rede Expressos — Ideal para fazer um passeio nas cidades mais próximas.

Trens (Comboios)

As empresas recomendadas são: CP Lisboa — conta com uma rede nacional de
linhas que cobre praticamente todas as zonas de Portugal. As 5 linhas principais
vão à Sintra, Azambuja, Cascais, Sado e Porto/Aveiro. Os bilhetes podem ser comprados
nas bilheterias das estações e em máquinas de venda automática.

Fertagus — empresa privada de trens estabelece a ligação entre as duas margens
do rio Tejo, fazendo a travessia através da Ponte 25 de Abril.

Ferry Boat (Cacilheiros)

Transtejo e Soflusa — www.transporteslisboa.pt

Transporte público

Em Portugal, os serviços oficiais para prestação de cuidados de saúde à população
encontram-se organizados num Serviço Nacional de Saúde. Além
do serviço público existem instituições de saúde privadas e consultórios
de profissionais. A rede hospitalar é composta por modernas e equipadas
unidades, geograficamente distribuídas no País e conveniadas com as
principais seguradoras internacionais.

No sentido de melhor acolher o paciente estrangeiro, os hospitais vêm implementando
serviços de atendimento e acompanhamento personalizados ao paciente,
sendo o inglês o idioma base de comunicação.

Cartão de Utente – Este cartão dá aos residentes estrangeiros os mesmos direitos
de tratamento dos cidadãos portugueses e, muitas vezes descontos em medicamentos.
Ele pode ser solicitado gratuitamente no centro de saúde de sua área
de residência, mediante inscrição. A emissão do cartão pelo centro de saúde leva
alguns meses. Com o cartão é possível conseguir atendimento médico nos hospitais,
marcar exames e comprar remédios. Alguns dos principais hospitais são: Rede
CUF, com mais de 70 anos de experiência, e o Hospital da Luz. Mais informações
podem ser obtidas no portal: www.portaldasaude.pt

As farmácias funcionam em horário comercial, normalmente das 9hs às 13hs e das
15hs às 19hs. Fora deste horário, há uma “farmácia de serviço” disponível 24hs
além do número de emergência europeu 112.

Escolas e Universidades
para estrangeiros

Uma das maiores preocupações para pretende se mudar e tem filhos é a educação
em terras portuguesas. E, para tranquilidade dos brasileiros que estão de malas
prontas, há alguns pontos muito positivos. O sistema de educação português é
relativamente parecido com o do Brasil. Além disso, os brasileiros podem ingressar
no sistema educacional de Portugal em qualquer faixa escolar. Basta levar históricos
escolares e certificados a um Consulado Português no Brasil antes de viajar
para Portugal. Depois disso, os documentos devem ser entregues à unidade escolar,
que tratará de todo o processo junto ao Ministério da Educação. O ano letivo
em Portugal começa em setembro, e os prazos de inscrição normalmente vão de
junho a agosto. Tais prazos servem para escolas e também para universidades.

Na primeira fase (a chamada “educação pré-escolar”), são matriculadas as crianças
dos 3 aos 5 anos. Não há obrigatoriedade, mas como muitos pais trabalham fora, é
comum as crianças desta faixa etária já frequentarem a escola.

Equivalente ao ensino fundamental brasileiro, em Lisboa temos o chamado
“ensino básico” (para crianças e adolescentes dos 6 aos 15 anos). Nesta
faixa existe uma diferença entre os sistemas educacionais do Brasil e de
Portugal. Os estudantes tem que optar por uma área de ensino (científicohumanístico,
tecnológico, artístico especializado ou profissionais), já se preparando
para o “ensino secundário”, que equivale ao ENS no ENSINO médio brasileiro.
Nesta fase, os jovens de 15 a 18 anos não têm todas as disciplinas, cursam apenas
aquelas que têm relação com o curso que pretendem seguir no ensino superior.

Entre as unidades de educação de ensino regular há excelentes unidades públicas
e também particulares. Entre as mais conhecidas e renomadas estão os bilíngues
Colégio Paula Frassinetti e Colégio Sá de Miranda, os públicos Escola Básica do
1º Ciclo Á-dos-Loucos e Escola Básica Integrada de Bobadela e os católicos Associação
Jardins Escola São João de Deus, Sagrado Coração de Maria e Colégio
Oficinas São José. Os perfis de outros colégios particulares podem ser consultados
no link colegiosdelisboa.weebly.com

As universidades particulares de Portugal são conhecidas mundialmente pela
excelência do ensino. No maior estudo sobre instituições do ensino superior do
mundo, a Universidade Nova de Lisboa destacou-se, seguida pela Universidade
do Minho. Logo depois aparecem as universidades do Porto, Aveiro, Coimbra e
Lisboa. São estes os resultados da segunda edição do ranking global U-Multirank,
compilado e financiado pela Comissão Europeia.

Para brasileiros há agora uma nova possibilidade de ingresso nas universidades,
através do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Em 2014, as Universidades
de Coimbra (UC), Algarve (UALG) e da Beira Interior (UBI) anunciaram a adesão
ao Enem para selecionar estudantes brasileiros para seus cursos. Em 2015, foi a vez
dos Institutos Politécnicos de Leiria (IPLeiria) e Beja (IPBeja).

Uma informação importante é que nas universidades públicas portuguesas todos
os estudantes pagam mensalidades ou anuidades que são chamadas de propinas.
Sim, é isso mesmo, os cursos superiores nas universidades públicas não são gratuitos
como no Brasil. Para maiores informações vale a pena entrar nas páginas de
cada universidade na web.

Comida: os melhores
restaurantes

Não há como não pensar em boa comida quando se está em Lisboa. A famosa gastronomia
local, rica em peixes — sobretudo o bacalhau — e frutos do mar é um dos
maiores atrativos da cidade. Isso sem falar nos doces portugueses, tradição pura.
Não faltam bons restaurantes, pastelarias, cafés e bares charmosos em qualquer
roteiro turístico. Come-se muito bem e há opções para todos os bolsos.

São 14 os restaurantes portugueses distinguidos na edição de 2015 do Guia Michelin
Espanha e Portugal, dois a mais que no ano anterior. E Lisboa tem pela primeira
vez um restaurante com duas estrelas, o sofisticado Belcanto, do chef do momento,
José Avillez, no Bairro Alto. Outros merecedores de estrelas, de acordo com
os rigorosos inspetores do Michelin, são o Eleven, do aclamado chef Joachim Koerper,
um mestre na cozinha mediterrânea, e o Feitoria, no Hotel Altis, do jovem
chef João Rodrigues, com ambiente de design, super cool e uma cozinha autoral.

Alguns programas gastronômicos imperdíveis: provar o bacalhau de restaurantes
clássicos como o Adega da Tia Matilde ou o Solar dos Presuntos, os peixes incríveis
do Bica do Sapato com vista para o Tejo, os petiscos do chef Vitor Sobral
no Tasca da Esquina e o atum do Sea Me, restaurante da moda. Conhecer o famoso
Café À Brasileira, onde o poeta Fernando Pessoa era facilmente encontrado,
tomar um sorvete na Santini, no Chiado… mas nada como uma ida a Belém, perto
do Mosteiro dos Jerónimos, para se deliciar com os famosos pastéis de nata com
um bom vinho do Porto e fazer uma visita à fábrica da Antiga Confeitaria de Belém,
que desde 1837 com a mesma receita secreta encanta turistas e locais. Em vários
restaurantes famosos, os clientes podem ainda ter o prazer a provar um delicioso
porco preto, pura tradição lusitana.

Na área da baixa gastronomia, uma ótima pedida é ir ao Mercado da Ribeira,
recém-reformado. Há estandes de vários restaurantes conhecidos onde é possível
pedir uma variedade de petiscos e pratos, em comer em enormes mesas coletivas.
No verão espalham-se também pelo lado de fora, com atendimento a céu aberto.

- Added to shortlist

- Removed from the shortlist

Undo